Saturday, June 02, 2007



Clique no link abaixo para ouvir a suite do ballet A Bela Adormecida de Tchaikovsky

11 The Sleeping Beauty - Suite from.m4p

Fui ver A Bela Adormecida do Ballet Theatre com Veronica Part e o brasileiro Marcelo Gomes. Marcelo é a nova sensação do ballet clássico. O Metropolitan Opera House onde a companhia se apresenta vem abaixo quando ele aparece em cena. Marcelo é de uma presença, elegância e perfeição sem igual entre os outros primeiros bailarinos da companhia. Fui cumprimentá-lo, especialmente por ter criado o papel do Príncipe na estréia desta nova coreografia de Gelsey Kirkland e Kevin McKenzie.
Pela primeira vez neste ballet, para muitos a mais pura criação de Marius Petipa, o Príncipe ganha vida própria - antes sua única função era acordar a princesa. E Marcelo, ao criar o papel, estabeleceu uma referência difícil de igualar pelos bailarinos que dançarão a nova coreografia. Arrasou.
Conheço Marcelo desde que chegou a Nova York com 17 anos, contratado para o corpo de baile do ABT, há 10 anos. Em 2002, tornou-se primeiro bailarino. Desde então a crítica e o público o consagraram em papéis como Romeu, Albrecht, o príncipe do Lago dos Cisnes e muitos outros. Entre os bailarinos da companhia ele é o melhor partner, não só por ser o mais alto (1m85) e o mais forte, mas pelo talento como ator e a química com as partners - além de Part, Veronica Herrera, Carmen Corella, Julie Kent, e outras.
No palco, Marcelo é o perfeito par romântico, um autêntico príncipe encantado. Deixa loucas suas legiões de fãs.
O notável é que ele é um dos raros bailarinos entre as grandes estrelas do ballet clásico que se assumiram publicamente como homossexuais, na maior tranquilidade. Saiu na capa da revista Advocate em 2003 (manchete: Romeo is Gay), sem causar polêmica ou disse-me-disse. Afinal ele tem o apoio dos colegas de profissão e amigos e principalmente da família, que se mudou de Manaus para o Rio nos anos 80. Marcelo estudou na escola da Dalal, depois na Harid da Flórida e na Ópera de Paris. Foi descoberto por McKenzie quando o Ballet Theatre se apresentou no Rio nos anos 90. Marcelo vai longe. Como ele mesmo me disse quando fui cumprimentá-lo, "é daqui pra cima".


2 comments:

Iza said...

Imagens lindas, principalmente para quem gostaria de estar aí, assitido ao vivo. Dizem que o Marcelo é realmente um gato!
Bacana!

Laura said...

Dá para entender o porquê de tanto encantamento pelo belo
:)
bj Laura