Sunday, August 24, 2014

Charles Baudelaire, Bem longe daqui

É aqui a choça sagrada
onde essa moça arrumada,
tranquila e bem preparada,
o cotovelo no colchão,
ouve cantar o ribeirão;
é de Dorotéia a morada.
-- Da brisa e da água, a canção,
longe, por soluços marcada,
nina a menina mimada.
De cima a baixo, com atenção,
a pele tenra é esfregada,
com óleo de manjericão.
-- E as flores se espalham no chão.