Friday, November 18, 2005

Wim Wenders

Acabo de entrevistar Wim Wenders para o Milênio da Globo News e tenho que contar para alguém! Estou que nem aquele cara da piada que come a Sharon Stone numa ilha deserta e manda ela se vestir de homem porque ele precisa ter alguém pra contar. Eu tenho o blog...
Ele contou que teve um sonho esta noite. Sonhou que estava acontecendo uma revolução aqui na América, todo mundo na rua. O povo americano tinha acordado de repente para o fato de que não tinha mais nenhum poder e resolvido acabar com isso. E ele estava no meio. Mas de repente se tocou que só podia ser um sonho e acordou.
Contou que quando era garoto na Alemanha, os outros meninos tinham no quarto posters de cinema. E ele tinha posters de Brasília. Achava que a construção de Brasília era a maior aventura da história da humanidade. O sonho dele era conhecer Brasília, o que finalmente conseguiu. Não entende porque os brasileiros não gostam de Brasília. Ele continua adorando.
Perguntei por que ele gosta tanto de Portugal: por causa da inocência dos portugueses.
Disse que agora que fez 60 anos está curtindo voltar aos lugares onde se sente em casa. O problema é que são muitos. Um deles é a Bahia.
Fazer cinema, disse, não é profissão, é privilégio. Se emocionou falando de como o filme dele, Buena Vista Social Club, mudou a vida daqueles abuelos que estavam esquecidos em Cuba.
Disse que o cinema tem que filmar o invisível, o transcendente. Limitar-se a filmar o que pode ser visto é muito pouco.



Depois, muito simpático, tirou fotos com a equipe da Globo aqui (a entrevista foi no escritório) e autografou um poster de Paris Texas do produtor David Presas, que nasceu no Texas (mas, segundo Wenders, tem sotaque brasileiro). O poster, que é enorme, tem uma foto grande da Nastassja Kinski. Wenders desenhou uma imensa asa de anjo nela e assinou embaixo. Ficou deslumbrante.
A entrevista completa vem aí no Milênio, em dezembro. Stay tuned.

Wim Wenders

1 comment:

David said...

Pontual,
adorei a materia tua aqui neste blog and the fact that even to a chap like Wenders once a Texan always a Brazilian. Tou aqui no Rio para o Pan and it´s pandemonio. Mas como tudo neste pais tropical, .... everything in the never works out it just fades away... abrs do rio and thks for the mention. Abrs