Monday, June 06, 2005

O ESTRANGEIRO

René Magritte, O Falso Espelho

Ouça o poema cantado por Léo Ferré

Charles Baudelaire, Le Spleen de Paris, tradução Jorge Pontual

L'Étranger

Qui aimes-tu le mieux, homme énigmatique, dis? ton père, ta mère, ta soeur ou ton frère?
- Je n'ai ni père, ni mère, ni soeur, ni frère.
- Tes amis?
- Vous vous servez là d'une parole dont le sens m'est resté jusqu'à ce jour inconnu.
- Ta patrie?
- J'ignore sous quelle latitude elle est située.
- La beauté?
- Je l'aimerais volontiers, déesse et immortelle.
- L'or?
- Je le hais comme vous haïssez Dieu.
- Eh! qu'aimes-tu donc, extraordinaire étranger?
- J'aime les nuages... les nuages qui passent... là-bas... là-bas... les merveilleux nuages!



Baudelaire por Nadar, 1855

O Estrangeiro

Quem amas mais, homem enigmático, anda? Teu pai, tua mãe, tua irmã ou teu irmão?
- Não tenho pai, nem mãe, nem irmã, nem irmão.
- Teus amigos?
- Utilisas uma palavra cujo sentido me é até hoje desconhecido.
- Tua pátria?
- Ignoro em que latitude ela se situa.
- A beleza?
- Eu a amaria de bom grado, deusa e imortal.
- O ouro?
- Odeio-o como odeias Deus.
- Ora! Que amas então, extraordinário estrangeiro?
- Amo as nuvens... as nuvens que passam... lá longe... lá longe... as maravilhosas nuvens!

2 comments:

Alesson said...

Olá Jorge tudo bem, sou um apaixonado pela literatura francesa e é claro por esse poeta maldito e genial chamado Charles Baudelaire.Gostaria de saber se você conhece o "Baudelaire da prosa", Louis Ferdinand Céline? Espero que possa me responder..meu blog é www.fousbaianos.skyrock.com

Obrigado

Anonymous said...

O estranho(homme énigmatique) trata seu interlocutor por 'vous', a sua tradução aparentemente não levou em conta o fato de que o poema se dá em dois níveis diferentes de formalidade.